Quando as portas se fecham

E-mail Imprimir

A arrogância com a qual enfrentamos situações adversas, geralmente, falam muito sobre nós e para nós. Não estamos sozinhos no mundo, não somos autossuficientes, e determinadas situações acontecem para que percebamos a fragilidade, a interdependência de nossas relações no mundo. Às vezes esses acontecimentos são simples sinais do cotidiano – como cair da escada, não conseguir abrir a porta de entrada, tropeçar ao correr, engasgar ao comer, perder sistematicamente a chave da casa ou do carro  – tudo para mostrar a necessidade de temperança, de humildade, de paciência, da prática de trabalho em equipe, do respeito ao ser humano.  Por mais que a independência seja bastante valorizada nos dias atuais, a vida insiste em afirmar que precisamos uns dos outros, ainda que seja para abrir uma porta, em todos os sentidos que essa expressão pode significar.

É uma ideia que pode causar desconforto ou não, dependendo do momento em que ela se faz necessária.  Se é em situação que queremos mostrar que somos autônomos, realmente, é bastante constrangedor, mas se pensarmos mais profundamente, vem daí o sentimento de fraternidade, de união, de pertencimento. Haverá sempre alguém para nos estender a mão independente do grau de proximidade. Certamente isto nos mostra que podemos fazer o mesmo para outra pessoa. Não é necessariamente uma relação de troca, normalmente recebemos ajuda de quem nunca ajudamos. O que pretendo destacar aqui  é como podemos utilizar a simbologia dos pequenos acontecimentos diários para a prática e aprendizagem de conceitos mais profundos, em especial da fraternidade, de laços de união entre os homens, fundamentado no respeito pela dignidade humana e nos direitos entre todos os seres humanos. Em essência, não há nada que diferencie os homens entre si.


Esse é um conceito que abre portas. É a chave para o estabelecimento pleno da cidadania e fraternidade,  e que se associa a outros como a liberdade e a igualdade, evidenciando mais uma vez a inter-relação não apenas entre os homens, mas também entre os conceitos e ideais, pois para que haja manifestação efetiva de uma, é necessário que as outras estejam presentes. Fraternidade, Liberdade e Igualdade são como componentes de uma equação, em que é necessária e obrigatória a presença dos três elementos para que se obtenha o resultado esperado. Neste caso,  o resultado que se espera é que a humanidade possa usufruir uma vida de harmonia e paz. Com o objetivo de reunir homens imbuídos da  vontade de fazer e edificar, de combater o despotismo, a ignorância, os preconceitos e glorificar a justiça e a verdade é que muitas escolas fraternais se fazem presentes na sociedade. Em verdade, as religiões também auxiliam o homem a despertar para virtudes latentes, mas o ser humano é capaz de chegar à origem dessas virtudes se, simplesmente, atender às determinações internas de sua alma. O importante, qualquer que seja o caminho escolhido, é desenvolver faculdades latentes, para si mesmo e para benefício da humanidade. Lapidar-se e buscar uma conduta perfeita, observando, tanto em espírito como na letra, os preceitos de alta moralidade, mas de uma moral que não seja abstrata, e sim, intensamente prática.

 

Encontrar portas fechadas faz parte de nosso cotidiano, abri-las, no entanto, é nosso dever. E se, tendo a chave, não a conseguimos abrir sozinhos, significa que precisamos de ajuda. Ajudar uns aos outros, não no sentido da caridade, é um dos pilares da fraternidade. Cada um deve contribuir com seu trabalho, crescer por meio dele, a fim de se tornar capaz de um esforço maior. Quando éramos crianças ouvíamos dizer que a vida é lago azul e sereno, povoada de sonhos, como nos contos singelos. Ao nos tornarmos adultos, no entanto, a vida adquire outros significados e se assemelha muito mais a águas de fortes correntes, que podem ser canalizadas para uma estação de força geradora. Somente quando a vida é criadora, gerada por meio da mente e do coração, da intuição e do espírito, é que verdadeiramente podemos cumprir nossa missão e sermos dignos de nossa humanidade.

 

Glória do Ocidente Virtual

Powered by JoomlaGadgets

Contador ativo desde 04/02/2014
mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje319
mod_vvisit_counterOntem447
mod_vvisit_counterEsta semana2403
mod_vvisit_counterSemana passada4645
mod_vvisit_counterEste mês12953
mod_vvisit_counterMês passado20039
mod_vvisit_counterTudo1232867

We have: 18 guests, 1 members online
IP: 54.156.65.91
 , 
Dia: 20, Jul, 2017

Paramentos

SCGO - Sistema de Comunicação Glória do Ocidente

Acesso Restrito